Cuidado a ter com os pneus

 

1. Pressão de ar

A utilização de pressão de ar correcta é o factor mais importante que contribui para um desempenho e uma manutenção satisfatórios dos pneus industriais. A pressão de ar correcta pode ser determinada pesando as cargas de cada eixo e consultando, em seguida, as tabelas de carga/pressão de ar apresentadas para o tamanho do pneu. Todas as tabelas indicam a carga por pneu.

Pressão de ar insuficiente

Pode causar danos na estrutura de cabos do pneu. A flexão anormal continuada do pneu causa uma ruptura prematura da carcaça do pneu.

Verifique a pressão de ar regularmente

A pressão de ar deve ser verificada regularmente (pelo menos de duas em duas semanas). Para obter a pressão de ar exacta utilize um manómetro de baixa pressão, cuja exactidão deve ser verificada, pelo menos, uma vez por ano. Os pneus devem ser testados a frio e antes do veículo ser colocado em funcionamento. Um pneu que pareça ter a pressão correcta a quente terá uma pressão de ar insuficiente quando arrefecer.

2. Utilização de jantes recomendadas

A utilização de jantes mais estreitas do que as recomendadas causa problemas de montagem, dado que a protecção da jante ou a tampa do rebordo instalada na maioria dos modelos de pneus tem a tendência para interferir com o ajuste dos talões dos pneus numa jante estreita. Quando se encontra montado numa jante estreita, a protecção da jante do pneu aplica uma força indevida sobre o rebordo da jante, arriscando uma separação do flanco do pneu ou ruptura prematura da jante no aro do talão. Numa jante estreita, o piso é arredondado. Tal como com o excesso de pressão, o desgaste do piso do pneu ficará concentrado na zona central do piso e a tracção no campo ficará reduzida. Utilize sempre a jante recomendada.

3. Danos na válvula

Quando as válvulas são arrancadas da câmara-de-ar, isso indica um deslize do talão do pneu na jante ou uma centragem incorrecta do aro da válvula. O deslize do talão do pneu na jante poderá ser causado por:

• Baixa pressão de ar.

• Posicionamento incorrecto do talão na jante.

• Utilização excessiva de lubrificante no talão ou na jante ao montar o pneu.

• Funcionamento abaixo da tolerância

4. Misturar de pneus de construções diferentes

A mistura de pneus radiais e diagonais no mesmo eixo deve ser evitada em todas as circunstâncias. Pode provocar instabilidade e danos mecânicos. Em alguns países, esta prática é até mesmo proibida por lei.

5. Massa lubrificante e óleo

Para evitar danos na borracha, não deixe os pneus entrar em contacto com massa lubrificante ou óleo. Depois de utilizar o tractor em operações de pulverização, remova quaisquer químicos dos pneus.

6. Reparações qualificadas

Os pneus devem ser verificados quanto a eventuais danos, em particular cortes ou quebras que atinjam ou exponham os cabos da carcaça. Os pneus danificados devem ser imediatamente retirados da roda e enviados para uma oficina com serviços para pneus com boa reputação para uma inspecção interna completa e, se possível, para reparações permanentes.

7. Segurança dos pneus

Utilize sempre ferramentas de montagem e desmontagem especializadas que respeitem as especificações dos fornecedores de pneus.

Nunca tente retirar os talões de um pneu cheio.

Nunca encha um pneu que circulou com um furo ou que teve a pressão muito em baixo sem o retirar e verificar a eventual presença de danos no pneu, na câmara-de-ar ou na jante.

Retire sempre o núcleo ou corpo da válvula e esvazie completamente o pneu antes de executar a reparação.

Nunca altere, solde, aqueça ou brasar as jantes. Sempre que tenha de ser executado qualquer trabalho nas jantes, certifique-se de que o pneu é desmontado previamente.

Verifique sempre o núcleo da válvula para uma retenção adequada de ar. Substitua as válvulas danificadas ou com fugas.

Nunca instale câmaras de ar com dobras ou vincos nem as utilize em pneus diferentes do especificado pelo fabricante.

Inspeccione sempre o interior do pneu quanto à existência de cabos soltos, cortes, penetração de objectos ou outros danos na carcaça. Os danos reparáveis devem sê-lo previamente à instalação. Os pneus com danos que não sejam passíveis de reparação devem ser rejeitados.

Inspeccione sempre o interior dos pneus para detectar a presença de sujidade, líquidos ou materiais estranhos e remova-os antes de introduzir uma câmara-de-ar.

Utilize sempre válvulas e câmaras de ar novas em pneus novos.

Limpe e inspeccione sempre a jante e verifique se o diâmetro da jante corresponde ao diâmetro do pneu.

Lubrifique sempre com o lubrificante de montagem de pneus aprovado. Nunca use lubrificantes anti-congelantes, à base de silicone ou petróleo.

Nunca exceda a pressão de 2,5 bar (35 psi) para a fixação do talão durante a montagem do pneu.

Use sempre uma mangueira de extensão com manómetro e um mandril de pinça para que o operador se possa posicionar de lado durante o enchimento e ficar protegido por uma caixa de segurança aprovada.

Nunca tente montar um pneu numa jante que não corresponde exactamente no diâmetro. Exemplo: 15 polegadas e 15,3 polegadas não devem ser misturados.